Coldplay faz show extraordinário em São Paulo, repleto de efeitos
Mídia em segundo plano para fins jornalistico e editorial, sem qualquer outra finalidade.

Rock in Rio, aí vamos nós

Queen. Beyoncé. Coldplay. Guns N' Roses. Iron Maiden.
Agora, é a nossa vez de fazer história no maior festival de música e entretenimento do mundo.
 
Em setembro, viva experiência do maior e melhor
Rock in Rio de todos os tempos no On Backstage.

SCORPIONS

34 anos desde a última passagem, os veteranos do Scorpions chegam com força total. Rock You Like a Hurricane!

BON JOVI

O multi-platinado e membro do Rock & Roll Hall of Fame, Bon Jovi, chega ao país com a turnê This House Is Not For Sale.

SLAYER

Uma das principais bandas do thrash metal, Slayer, celebra 38 anos de carreira com turnê mundial de despedida.

IRON MAIDEN

Prepare-se para ver o Iron Maiden na maior produção de sua história em dois dos maiores estádios do país.
qua, 18 de set de 2019
qua, 25 de set de 2019
qua, 02 de out de 2019
dom, 06 de out de 2019
A cobertura especial do maior Rock in Rio de todos os tempos começa em 27 de set, às 14h BRT, nas redes sociais do On Backstage.

Coldplay faz show extraordinário em São Paulo, repleto de efeitos visuais

10.11.2017

(Foto: Thaísa Souza / On Backstage)

 

É algo raro de se acontecer, mas aconteceu. O Coldplay retornou novamente ao país com a mesma turnê, "A Head Full Of Dreams", que dá nome ao sétimo álbum de estúdio da banda. Os britânicos fizeram nesta nesta quarta-feira (8), o que veio a ser uma das melhores e esplêndidas apresentações da história da banda, em quase 20 anos. Sem hesitação. Palavras de Chris Martin, o vocalista que esbanja carisma em todos os momentos que está em cima - e fora - dos palcos. 

 

A estrutura da turnê estava impecável, sendo a mesma das apresentações realizadas mundo à fora. O motivo era mais que especial. Ambos os shows que aconteceram em São Paulo foram gravados, e serão registrados em forma de um filme especial sobre a "A Head Full Of Dreams Tour". De todas as vindas ao país - 2003, 2007, 2010, 2011, 2016 e agora - esta foi de longe, uma das mais marcantes. Não só para eles, mas para todos os privilegiados que tiveram a honra de prestigiarem uma das melhores e maiores turnês de todos os tempos. 

 

Logo no início da música "O mio babbino caro", da soprano grega Maria Callas, o público já gritava ensandecidamente pelos rapazes. A opera é marcada por anteceder a entrada dos britânicos ao palco - e por deixar todos ainda mais ansiosos. Na sequência, uma contagem começa no telão, mostrando algumas aberturas feitas pelos fãs durante as passagens por vários países, até que finalmente chegue ao dia do Brasil novamente. Uma surpresa: Chris Martin aparece durante o vídeo por trás dos três jovens e começa a falar alguns recadinhos. Um deles, para que os fãs pudessem evitar o uso dos aparelhos eletrônicos, para que todos pudessem se conectar como uma família naquela noite, apenas curtir e se entregar ao momento que seria nos proporcionado. 

 

O discurso de Charlie Chaplin, "O Grande Ditador", causa os primeiros arrepios de uma noite que entraria para a história. Um mar de pulseiras coloridas já tomava conta do Allianz Parque, em sua lotação máxima. "A Head Full Of Dreams" foi a primeira canção executada, e levou ao estado de êxtase mais de 40 mil pessoas que pulavam e cantavam com todo o fôlego o refrão mas significativo de toda a era atual da banda, "deixe suas janelas quebradas abertas, e na luz apenas as correntezas, e você terá uma cabeça, uma cabeça cheia de sonhos". Sonhos que se realizavam naquela noite de assistir pela primeira, segunda ou terceira vez um espetáculo daqueles. Uma corridinha de Chris pela passarela e uma explosão de confetes e fogos tornaram tudo ainda mais perfeito.

 

Chris Martin subiu ao palco com a bandeira do Brasil já amarrada em sua calça, como de costume. A banda estava completamente afiada. A felicidade já transbordava nos olhares de cada um. Chris, Jonny, Will e Guy. Era perceptível o quão gratos eles estavam por estarem vivendo aquele momento. É impressionante toda a conexão que os rapazes têm com os fãs brasileiros, é algo admirável. A troca de calor, emoção, energia era insana e absurdamente recíproca. Eles mandavam bem lá em cima, e a multidão apenas retribuía da forma mais pura e insana possível.

O primeiro agradecimento veio na sequência, durante um dos maiores sucessos da banda, "Yellow". "Estamos muito felizes de estarmos aqui em São Paulo", disse Chris Martin sendo ovacionado. Durante "Every Teardrop Is A Waterfall" e o refrão "então você pode me ferir, pode me machucar, mas eu ainda erguerei a bandeira", Martin ergue a bandeira do Brasil, e mais chuva de papel picado cai sobre o público que vibrava com toda a força.

 

Após "The Scientist", que emocionou todos, a alegre  "Birds" e o mar de cores durante "Paradise" e sua vesão remix especial, a banda partiu para o "B-Stage", localizado no final da passarela, para algumas performances mais intimistas. O sentimentalismo de "Always in My Head" deixou todos os casais com um sorrisinho bobo de lado. As batidas de "Magic" seguida de palminhas do público também fez bonito. Em "Everglow", o vento tímido gelado deixava todos bem reflexivos e agradecidos. Aquela noite estava caminhando ao seu "brilho eterno". 

 

O ápice das xylobands foi durante "Charlie Brown", onde Chris Martin pediu para que todos pulassem. As milhares de pessoas então ergueram os braços com as pulseiras coloridas e pularam como se não houvesse amanhã. O efeito incrível já era de se esperar. Todos nós perdemos o controle, e brilhamos intensamente no escuro. 

 

Não. Ninguém se conteve durante "Fix You". O que mais se viam eram pessoas com lágrimas nos rostos, mãos erguidas e o gogó afiado. Era um dos momentos mais lindos de todo o show. Não é para menos. A canção é uma das mais brilhantes de toda a história da banda, com significado forte e emocionante. É aquela música que você fecha os olhos, explode por dentro e curte cada minutinho.

 

 "Podem haver pausas em meio ao caos, ás vezes?". Sim, pode. Esse trecho foi retirado da canção "Amazing Day", que refletia bem tudo o que estávamos vivendo, um "dia incrível". Destaque para um dos momentos mais magníficos da noite: Will nos vocais de "In My Place". Ele fez bonito, e emocionou. A canção era muito esperada pelo público, que não via a hora de poder ouvi-lá novamente ao vivo aqui no país. "Life Is Beautiful" arrancou o "Olê, olê, olê" do Estádio inteiro. Tudo ficou colorido. 

 

Uma canção foi feita especialmente para nós, fãs brasileiros. Teve Rio, São Paulo, Porto Alegre e Tom Jobim. Tudo feito especialmente para os fãs mais amados e quentes do mundo!

Mais arrepios, agora em "Something Just Like This", quando mais efeitos especiais tomam conta de tudo. A canção é de longe, uma das mais esplendidas ao vivo.

Chris Martin é uma eterna criança. Saltos, dancinhas e giros entorno do próprio eixo são marcas registradas desse ser incrível, que estava sempre interagindo com os amigos de banda, Jonny, Will e Guy. Todos merecem destaque por serem adoráveis, e se ligarem como um só durante a apresentação. Ressalto a conexão magnífica que eles possuem. Os lanços entre fã e artista se uniram naquela noite, e nos tornamos realmente uma família. Nos sentimos em um céu estrelado em "A Sky Full Of Stars". O gostinho de despedida estava chegando. 

A turnê "A Head Full Of Dreams Tour" estava chegando ao fim com as mensagens "Don't Ever Give Up" (nunca desista) e "Believe In Love" (acredite no amor), com a música "Up & Up". Duas mensagens para carregarmos para sempre, até o fim de nossas vidas. Foram duas horas carregadas de emoções, composições perfeitas e um público simplesmente extraordinário, que cantava tudo do início ao fim. No final, Chris Martin parou o piano e observou a multidão visivelmente emocionado. Era impossível conter as lágrimas. Estávamos todos com o coração apertado. A bandeira do Brasil é colocada no chão ao lado de uma com a escrita "Believe in Love". Chris, Jonny, Will e Guy se juntam para agradecer o público, e na saída o vocalista se ajoelha para beija a bandeira do nosso país. Era o fim da noite mais incrível que todos os presentes já viveram. E mais gritos e aplausos! 

 

Não chore porque acabou, sorria porque aconteceu.

A Head Full Of Dreams Tour

 

SETLIST @ Coldplay em São Paulo 08.11

 

A-Stage
1. A Head Full of Dreams
2. Yellow
3. Every Teardrop Is a Waterfall
4. The Scientist
5. Birds
6. Paradise

 

B-Stage
7. Always in My Head
8. Magic
9. Everglow

 

A-Stage
10. Clocks
11. Midnight
12. Charlie Brown
13. Hymn for the Weekend
14. Fix You
15. Viva la Vida
16. Adventure of a Lifetime
17. Amazing Day

 

C-Stage
18. Us Against the World
19. In My Place (acoustic; Will on lead vocals)
20. São Paulo Song (with Jon Hopkins)

 

A-Stage
21. Life Is Beautiful
22. Something Just Like This
23. A Sky Full of Stars
24. Up&Up

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

sobre nós    |    mapa do site    |    entre em contato

© 2019 on backstage | alguns direitos reservados.